Secretaria de Saúde de Sapé esclarece procedimentos para transferência hospitalar de pacientes internos no Sá Andrade


 A Secretaria Municipal de Saúde de Sapé esclarece que a paciente Severina Alfredo de Lima está sendo transferida para o Hospital Geral Edson Ramalho, em João Pessoa. Ela chegou ao Hospital Municipal Sá Andrade no último sábado (23) se queixando de dores agudas na região do abdome e, desde então, está recebendo toda a assistência necessária, entretanto, a conclusão da equipe médica é que ela precisaria ser transferida para outra unidade hospitalar para a realização de exames mais especializados.


O secretário de Saúde, David Roberto, explicou que no sábado mesmo foi dada entrada no pedido de transferência, contudo, por conta da falta de vagas disponíveis nos hospitais da Capital, a paciente continuou no Sá Andrade, recebendo os cuidados devidos. Nesta terça-feira (27), o sistema disponibilizou uma vaga para a paciente no Hospital Edson Ramalho.


“Nós não podemos transferir um paciente sem ter vaga em outro hospital e isso não é algo que dependa de nós. Só podemos realizar a transferência quando há disponibilidade de vaga no local de destino. Quando a vaga surge, nós temos toda a estrutura necessária para a remoção, como veículos adequados e equipe de saúde para acompanhar. De nossa parte, agimos com toda rapidez necessária”, afirmou o secretário.

Entenda como funciona a regulação para transferência de pacientes – Esse é um padrão estabelecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o país. As Secretarias dos Estados são as responsáveis pela regulação do acesso aos leitos das unidades de saúde de cada região. A Central de Regulação recebe a solicitação de uma vaga de leito de enfermaria ou UTI, por exemplo.

A equipe da Central classifica o risco através de informações sobre as condições clínicas, exames complementares e diagnóstico médico. Depois vem a procura pelo serviço que atenda às necessidades do paciente na rede do SUS. Identificada a vaga, que vai depender da lotação das unidades pesquisadas, o leito é reservado e disponibilizado ao hospital solicitante.

Assim, a transferência só pode ser realizada quando a Central consegue uma vaga e aciona o hospital que solicitou.

 

 

 

Assessoria

Sem comentários: