Justiça aceita nova denúncia do MPPB contra Ricardo Coutinho na Calvário

Ação do Gaeco pede reparação de danos que teriam sido causados pela contratação de servidores 'codificados'

Ex-governador se tornou réu em mais um processo da Operação Calvário (Foto: Walla Santos/ClickPB)
 A juíza da 2ª Vara da Criminal da Capital, Gianne de Carvalho Teotônio Marinho, aceitou, nesta segunda-feira (19), denúncia do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba contra o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB). Com isso, ele passa a ser réu mais uma vez no âmbito da Operação Calvário. Nesta ação, o Gaeco pede a devolução de R$ 215,9 milhões, a título de reparação de danos causados pela contratação de servidores ‘codificados’ em suas duas gestões como governador.

Ao acatar o pedido, a juíza reconheceu a materialidade e indícios de autoria e determinou o prazo de 10 dias para que a defesa de Ricardo Coutinho apresente defesa. 


A contratação dos codificados, a que se refere a ação, também foi considerada ilegal pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), no mês passado, ao analisar as contas do gestor referentes a 2017.


Em nota, a defesa de Ricardo Coutinho afirmou que a ação é uma represália ao ex-governador, que entrou com pedido no STF de anulação de delações premiadas.


“A divulgação pública de uma nova denúncia, logo após a repercussão de uma medida defensiva, contudo, demonstra mais uma tentativa de prejudicar o exercício do direito de defesa de Ricardo Coutinho e representa uma afronta ao Estado Democrático de Direito”, diz um trecho da nota.


Há um pedido para que a ação transcorra em segredo de justiça, por contar com informações pessoais de alguns citados no processo.



Do ClickPB com Blog do Ninja


 





Sem comentários: