EX-PREFEITO DE CUITEGI PEDE MAIS PRAZO PARA SE DEFENDER NO TCE-PB

 


 O ex-prefeito de Cuitegi, Guilherme Madruga Junior, requereu ao Tribunal de Contas do Estado da Paraíba prorrogação de mais 15 dias em seu prazo de defesa para contestar as alegações da auditoria que apontou mais de 1 milhão e 600 mil reais em gastos indevidos pelo alcaide durante o ano de 2019.


Os gastos, segundo o TCE, dizem respeito ao pagamento com locação de veículos que chegou ao total indevido de R$ 139.000,00. O relatório aponta que os pagamentos eram feitos sem que os veículos estivessem contratados pela Prefeitura, o que é vedado pela Lei. 

Outra ocorrência segundo os auditores de contas foi o pagamento de combustíveis para veículos, cujas despesas com abastecimento deveria ser do proprietário do veículo. O carro era contratado pela prefeitura para o dono do carro ser responsável pelo abastecimento, mas quem colocava a gasolina era a prefeitura. Desse gasto o TCE diz que foram R$ 3.549,80.

Já com os postos de combustíveis os gastos teriam passando os R$ 215.000,00 reais pagos de forma irregular, inclusive parte desse dinheiro foi pago à esposa do ex-vice-prefeito, Chico Mala.

Porém o mais alarmante é o suposto pagamento de R$ 1.290.000 reais sem aparo legal, ou seja, de maneira irregular. Essas despesas se referem entre outras coisas a contratação de bandas e cantores, o que para o TCE deveria haver licitação, já que as bandas e os cantores não são renomados, o que dispensaria o processo licitatório.

Do relatório do TCE o ex-prefeito irá apresentar suas alegações, o que poderá esclarecer para o Tribunal as eivas existentes no relatório e saná-las. Caso a auditoria não acate as explicações e o ex-alcaide tenha suas contas rejeitadas ainda caberá defesa. 


O  ex-prefeito não foi procurado para apresentar sua versão dos fatos. Entretanto, o portal está aberto caso queira se manifestar.



Fonte: Portal PB 24 Horas.

Sem comentários: