EXCLUSIVO! Mallaguty “abre o verbo” sobre o pleito de 2020 e diz o que viu na eleição da CMG

 

Armando diz que mesmo com o insucesso do MDB em 2020, confia muito na liderança do ficha limpa da Paraíba, o ex-governador Roberto Paulino

Armando Mallaguty (Foto: Arquivo Pessoal)
Empresário do ramo de shows artísticos, ex-vereador e atual vice-presidente do MDB de Guarabira, Armando Rodrigues de Oliveira, popularmente conhecido por Mallaguty, é o entrevistado de Fato a Fato e, ao responder questionamentos que lhe foram enviados pela editoria do site, revela bastidores da campanha de 2020 em solo guarabirense, inclusive cita o que viu na eleição para a presidência da Câmara Municipal.

Na entrevista, Mallaguty também expõe sua opinião acerca do modus operandi do MDB, classifica como falhas que devem ser corrigidas nas campanhas futuras e diz como o partido deve se comportar nas eleições estaduais do próximo ano. Armando ainda opina sobre a estratégia usada pelo PSDB para ganhar a eleição municipal em Guarabira.

Acompanhe a entrevista:

FATO A FATO - Como analisa o pleito municipal de novembro do ano passado em Guarabira, onde o MDB saiu outra vez derrotado?

MALLAGUTY - Primeiro, o MDB, que estaria liderando as oposições, já entrou na disputa dividido. Perdemos Wilson Filho, Michel do Empenho e outras dezenas de lideranças e líderes comunitários. E veio o reforço significativo do partido do governador através do seu presidente Célio Alves, Josa da Padaria, Renato, Beto Meireles e outros do Cidadania, mas um apoio fracionado. Aí pegamos um adversário com a caneta na mão e bem avaliado perante a opinião pública. Portanto, diante do insucesso de 2020 precisamos urgente rever conceitos e nos fortalecermos se quisermos ganhar os próximos embates em 2022 e 2024.

FATO A FATO – Na sua visão, por qual motivo a oposição elegeu 9 vereadores contra 6 da situação e não conseguiu “fazer” a Presidência da Câmara nos dois biênios?

MALLAGUTY - A oposição, como falei, saiu dividida e mais uma vez ficou evidenciado que se fracionar, perde. A questão dos vereadores é simples: a oposição teve a maioria dos votos dos guarabirense. Aí se viu na eleição dos 9 vereadores. E mais uma vez demonstrou fragilidade na condução da eleição da CMG. Com a oposição desunida, o bloco de situação baterá sempre as paradas. Na eleição da Câmara avisei: se não se unissem, a situação não faria nenhum dos biênios. Ficou comprovado de novo. Houve erro na condução.

FATO A FATO - Qual o grande erro de MDB/Cidadania na campanha eleitoral do ano passado em Guarabira? Ou não houve erro?

MALLAGUTY - O erro foi a demora na consolidação da união com o governador e na sequência a divisão das oposições. Os líderes sabem disso. Será que vão continuar no mesmo caminho? Vou trabalhar para que isso não mais aconteça.

FATO A FATO - Quais foram os trunfos usados pelo grupo do PSDB para sair vitorioso da campanha eleitoral do ano passado em Guarabira?

MALLAGUTY - O PSDB usou a tática ZT (quis dizer Zenóbio Toscano). Saiu unido com o grupo e buscou fragilizar as oposições, levando para seu bloco o vereador WF e dezenas de líderes oposicionistas, tanto do MDB quanto da ala do governo do Estado em Guarabira. E trabalhou as obras no período eleitoral, sem falar na facilidade na distribuição de ajudas na pandemia. Recursos sobraram.

FATO A FATO - Como deve proceder o MDB de Guarabira na campanha eleitoral estadual de 2022?

MALLAGUTY - Em 22 e 24, temos que mudar o modo operandi. Já perdemos 3 eleições de prefeito. Precisamos nos reencontrar com o eleitor e com a massa vermelha, buscar consolidação nas obras e ações do governador e parti para as ruas com escalação certas nos bairros de nossa cidade. Mas, continuo confiando na liderança do político de ficha limpa da Paraíba, o ex-governador e atual presidente estadual do MDB, Antônio Roberto de Souza Paulino.

FATO A FATO - Que análise você faz dos 60 primeiros dias de administração do prefeito Marcus Diôgo?

MALLAGUTY - Fazer análise em menos de 60 dias é prematuro. O prefeito tem muita munição e sabendo usá-la é um forte concorrente futuro, tanto ele quanto seus aliados.



Por Antonio Santos/Editor de Fato a Fato

Sem comentários: