Pedro Cunha Lima critica gastos da gestão Bolsonaro com leite condensado

 

Na avaliação de Pedro Cunha Lima, é ruim saber que dentro do orçamento público falta dinheiro para creches, Educação, Saúde e até para respiradores hospitalares

Deputado Pedro Cunha Lima (Foto: Reprodução)
Após divulgação da informação de que o governo Bolsonaro teria gasto R$ 15 milhões com a compra de leite condensado, o deputado federal Pedro Cunha Lima, do PSDB, resolveu expor sua revolta e pediu por união em prol de uma mudança de comportamento no Palácio do Planalto.

Para Pedro Cunha Lima, não se pode, de forma alguma, investir tão pouco com Educação, Saúde e Segurança Pública e, ao mesmo tempo, realizar gastos abusivos, a exemplo da enorme compra de leite condensado. O deputado de Campina Grande defendeu uma união além da ideologia política em prol de mudanças no Executivo federal. “Existem momentos, independente de ser de direita ou de esquerda, é preciso se unir para aumentar uma pressão e acelerar um processo de mudança de comportamento. Foi divulgado amplamente que no último ano o Executivo gastou R$ 1,8 bilhão em supermercado. Só de leite condensado, mais de R$ 15 milhões, de chicletes, mais de R$ 2 milhões. Independente de apoiar ou não, gostar ou não do governo Bolsonaro mostre que isso está fora de lugar”, refletiu o parlamentar.

Na avaliação de Pedro Cunha Lima, é ruim saber que dentro do orçamento público falta dinheiro para creches, Educação, Saúde e até para respiradores hospitalares, tão importantes no atual momento de pandemia. “Mas tem dinheiro para leite condensado. Isso é uma visão atrasada de país que precisa de uma união, não no sentido de fazer um ‘cabo de guerra’ com o governo Bolsonaro, mas apenas pontuar uma critica de que isso está errado”, argumentou.

O orçamento público, segundo o deputado, é um espaço sagrado e preciso que seja priorizado aquilo que é essencial. Para Pedro, o orçamento não deve servir apenas a quem estão no topo da pirâmide. “A gente não pode mais aceitar que permaneça assim. O Brasil é um país profundamente desigual e não consegue mais conviver com isso”, declarou o deputado.


Do PB Agora

Sem comentários: