Janeiro Branco: Raniery Paulino destaca a ampla discussão sobre a Saúde Mental nas vidas das pessoas.


 

Como é de conhecimento de todos, existe um cenário de instabilidade emocional provocado pelo COVID-19 e consequente. Na busca da ampla discussão sobre esse tema, o deputado estadual Raniery Paulino (MDB), destacou a preocupação da Campanha do Janeiro Branco, onde se tem como foco chamar a atenção para os temas da Saúde Mental e da Saúde Emocional nas vidas das pessoas.

Brasil é o segundo país das Américas com maior número de pessoas depressivas, equivalentes a 5,8% da população, atrás dos Estados Unidos, com 5,9%. A depressão é uma doença que afeta 4,4% da população mundial. O Brasil é ainda o país com maior prevalência de ansiedade no mundo (9,3%).

Preocupado com os dados apresentados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), Raniery quer discutir sobre conscientização da saúde mental e emocional das pessoas na Paraíba, com intuito de discutir com autoridades governamentais e legislativas na Paraíba e no Brasil através da Unale.

” Precisamos discutir sobre esse tema! Esse ano de 2021 será um grande reflexo do ano de 2020 que muitas pessoas perderam um ente-querido, com isso, precisamos de estratégias e de políticas públicas voltadas para a promoção da Saúde Mental nas sociedades, nas vidas das pessoas e fortalecer a prática do cuidado nas instituições sociais.” frisou Raniery.

Ainda de acordo com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), é recomendado conversar com pessoas de confiança, fazer exercícios físicos, investir em meditação, leitura, exercícios de respiração, artesanato; estimular ações compartilhadas de cuidado, evocando a sensação de pertencimento social, como as ações solidárias e de cuidado familiar e comunitário.

CVV
O Centro de Valorização da Vida presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo e anonimato. Basta ligar no 188. Também é possível acessar www.cvv.org.br para chat, disponível 24 horas.



Da redação com acessopolitico

Sem comentários: