Transição em sapé, população clama para além do básico


 
Olhando a clássica linha férrea que corta nossa querida Sapé pensamos:" a vida é como um trem, há chegadas e partidas", muitas delas trazem o peso do trabalho, bem como cargas de lembranças nem sempre boas. No penúltimo dia da atual gestão, Roberto Feliciano foi visto como nenhum prefeito nos últimos anos: andando livremente pela cidade.


Vistoriando as obras da Praça João Pessoa e a biblioteca, o prefeito Roberto transparência tranquilidade e segurança pelas ruas, uma cena pouco provável em nosso histórico. Do outro lado notamos um prefeito eleito com grande apelo da população que almeja mudança. Chegando com novas ideias e propondo um passo a adiante, o prefeito Major Sidney entrará na gestão como um maquinista que acredita que o trem tem capacidade suficiente para movimentar um peso maior.

Roberto Feliciano em seu governo de 8 anos que se encerra agora dia 31, teve como carro chefe a folha salarial em dia que é uma obrigação de qualquer gestor, porém algumas obras que até momento nenhum sapeense entende como a ciclovia que é bastante criticada em sua gestão, também não trouxe indústrias, fabricas pra geração de emprego e renda e por sinal a fabrica da pênalti que foi fechada em sua gestão. Outra questão bastante criticada sua assessoria de comunicação, que dificilmente se comunicava com a imprensa paraibana.

A população de Sapé por sua vez deseja sempre um passo adiante, ou quem sabe um novo horizonte, uma Sapé que ande na linha, com vagões cheios de esperanças e sobretudo com a certeza que a próxima viajem levará a caminhos mais prósperos.

 

 

A redação com Emmanuel de Luna

Sem comentários: