ALPB comemora centenário do desembargador Simeão Cananéa

 

Publicado em 1 de dezembro de 2020

WhatsApp Image 2020-12-01 at 3.34.45 PMA Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta terça-feira (1º), uma sessão especial, por meio de videoconferência, em homenagem ao desembargador Simeão Fernandes Cardoso Cananéa. O evento foi proposto pelo deputado Chió e reuniu familiares, parlamentares e autoridades políticas.

 

Os participantes ressaltaram que o homenageado foi um magistrado ‘à frente do seu tempo’.  Se estivesse vivo, Cananéa completaria 100 anos no próximo dia 12. “É com muita alegria que falo sobre o doutor Simeão Cananéa, juiz, desembargador, pai e um ser humano ímpar. O legado dele precisa ser recontado periodicamente por todos nós, pela política, pela justiça, por toda a sociedade”, comemorou o deputado Chió.

 

Diversas autoridades políticas, entre elas, o desembargador presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), Marcio Murilo da Cunha Ramos, fez questão de ressaltar o legado de Simeão Cananéa. “O desembargador Cananéa foi um grande defensor da educação e, nessa busca, sempre deixou transparecer seu lado humano. Ele tinha um magnetismo enorme, do tamanho da alma dele. Ele era um agregador, que sabia dizer as palavras certas, no momento certo”, relatou o desembargador Márcio Murilo.

 

“Juntamente com os demais segmentos da sociedade, o desembargador Cananéa empreendeu um esforço para tirar absolutamente todas as crianças da rua e colocá-las na escola, fazendo-se valer da legislação e com apoio da prefeitura, Câmara e governo do Estado de então (anos 1953, 1954). Isso marcou toda uma geração, que aprendeu a ler graças a ele”, pontuou o jornalista André Cananéa, neto mais velho do homenageado.

 

“Mesmo sendo uma autoridade na área jurídica, Simeão Cananéa nunca fez uso desse poder em benefício próprio”, detalhou uma de suas filhas, a psicóloga Ana Lúcia Cananéa. “De Bananeiras, lembro de um tempo em que, embora ele fosse uma ‘autoridade’ na cidade, para mim, era apenas, meu pai! Em meio a isso, nesse crescimento, fui observando meu pai e seus livros. Ele era o juiz da cidade, mas era, sobretudo, um educador”, disse.

 

Paraibano de Remígio, o desembargador Cananéa nasceu no dia 12 de dezembro de 1920. Ingressou na magistratura em março de 1953 como juiz de Direito, em Santa Luzia. Em 1969, foi nomeado desembargador do Tribunal de Justiça da Paraíba, do qual foi presidente no período de 1973 a 1974. Cananéa também presidiu o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB), e a Associação dos Magistrados da Paraíba em 9 gestões, totalizando 12 anos no cargo (de 1966 a 1973 e de 1986 a 1998).




Da redação com agencia-de-noticias ALPB 

Sem comentários: