Em sessão remota, secretário de Saúde do Estado discute combate à Covid-19

  A Câmara Municipal de Guarabira realizou nesta terça-feira (19), mais uma sessão ordinária remota, votou as matérias que constavam da ordem do dia e debateu sobre as ações de combate aos efeitos da pandemia da Covid-19.
Secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros foi convidado a participar da sessão e detalhou o que o Estado tem feito para minimizar o sofrimento das pessoas e familiares de infectados com a doença. Os vereadores sabatinaram o secretário, que respondeu a todas as perguntas postas pelos parlamentares.
De acordo com o secretário existe preocupação dele próprio e do governador João Azevêdo (Cidadania) com o aumento do número de casos em Guarabira.
"Guarabira é uma cidade que realmente nos preocupa. O governador teve a oportunidade de circular por algumas cidades e ele levava consigo o quantitativo de cada cidade e observava o comportamento das pessoas e viu que algumas cidades que não aderiram estão sendo mais afetadas por causa dessa desobediência. E Guarabira é uma delas, Sapé é outra", destacou.
Geraldo comentou ainda a respeito de alerta feito recentemente, chamando a atenção da população de Guarabira quanto à necessidade do distanciamento social e que havia sido acusado de politicagem.
"Recentemente alertamos a população e fomos acusados de estar fazendo politicagem, mas alertamos que Guarabira seria penalizada com esse grande número de casos. Veja que a Guaraves teve de ser interditada por ter 50 casos num total de 200 testados", pontuou o secretário.
Geraldo Medeiros disse que a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade foi classificada para atender apenas casos da Covid-19 e que os leitos de UTI estão praticamente todos ocupados.
"Estamos com 75% de ocupação da UPA. Eu procuro mostrar a importância do que é o paciente com coronavírus e 80% é assintomático e 15% que apresentam párea pulmonar já injuriada, que ocupam enfermaria e evoluem. Temos 5% de pacientes que tem comorbidades, que torna a imunidade daqueles pacientes baixa com muitos perdendo suas vidas", falou.
Na condição de médico, o secretário reforçou que a única forma encontrada para combater o vírus até agora é o distanciamento social e rechaçou o uso da cloroquina de forma indiscriminada como tem sido defendida por algumas autoridades políticas.
"Só temos uma maneira de combater esse vírus. A panaceia da cloroquina que muita gente está se iludindo com isso é preciso muita cautela em indicar o tratamento como alguns estão indicando. Nós podemos estar adotando uma medida muito temerária, pois os estudos não mostram eficiência do remédio contra o vírus. Eu não indico o uso indiscriminado da cloroquina", alertou Geraldo.
Respondendo a perguntas de vereadores sobre as razões de não se ter leitos de UTI para receber pacientes graves do coronavírus em Guarabira, o secretário disse que é necessário dispor de equipe qualificada e não existe disponibilidades de profissionais para isso.
"João Pessoa tem 87% dos leitos ocupados, recebemos ontem 20 respirados e já distribuímos. E perguntam porque não montar leitos em Guarabira e eu digo que esse tipo de paciente, que representa 5%, requer equipes qualificadas e nós não temos como disponibilizar esses profissionais e por isso transportamos esses pacientes graves para João Pessoa".
O secretário assegurou ainda que a Paraíba caminha para ser o estado com maior número de testes em termos proporcionais, devendo testar 10% da população e que todos os municípios receberam testes e precisam alimentar o sistema de informações.
"Na Paraíba são 395 mil testes que representa 10% da população que deve ser testada. Alguns municípios não estão alimentando o sistema e por isso tem municípios que apresentam discrepância nos números que nós divulgamos e os casos que se sabe que existem. A vigilância em saúde cada município recebeu os testes e eles devem ser feitos em doentes que apresentam os sintomas da Covid-19, mas não podemos fazer em quem não está sentido nada, apenas porque esteve com alguém que foi testado positivo", concluiu Geraldo Medeiros.
Ainda durante a sessão, o secretário falou sobre a abertura do comércio em Guarabira, apontado que essa medida pode ter contribuído com o aumento dos casos na cidade, que chegaram a 205 nesta terça-feira. Vereadores da base governista rebateram a afirmativa do secretário e creditaram ao grande número pessoas que a Guarabira recebe diariamente para serviços como bancos, sobretudo para recebimento do auxílio emergencial, já que poucas cidades têm agência da Caixa Econômica Federal.
Presidente da Câmara, Marcelo Bandeira (PDT) agradeceu a disponibilidade do secretário em ficar por 2 horas participando da sessão e propôs a união dos poderes para combater o inimigo comum que é o novo coronavírus. Para Bandeira, é fundamental que todos possam estar focados em derrotar o vírus. Geraldo se propôs a sentar, a participar de uma teleconferência e estabelecer parcerias e metas nesse momento de crise.





Ascom CMG 

Sem comentários: