Covid-19: Meireles cobra ação social e econômica da prefeitura de Guarabira

O vereador lembrou que a gestão recebeu R$ 766 mil em verba extra de auxílio para ações de combate ao novo coronavírus

Vereadora Renato Meireles (Foto: Assessoria)
O vereador Renato Meireles (Cidadania) cobrou, durante sessão remota da Câmara Municipal de Guarabira, nesta segunda-feira (20), uma série de reivindicações para que a prefeitura possa implantar nesse tempo de calamidade pública, devido à pandemia do novo coronavírus.

Em sua fala, Meireles destacou algumas ações requeridas ao Poder Executivo, dentre as quais que a prefeitura suspenda, por um período de 90 dias, a cobrança do IPTU; como também, a cobrança de alvarás de funcionamento de estabelecimentos comerciais do município.

Renato solicitou também que seja suspensa por três meses a cobrança da taxa de iluminação pública, a fim de amenizar a situação de dificuldade financeira enfrentada por autônomos e informais durante a crise do coronavírus.

Outra reivindicação feita pelo parlamentar foi que a prefeitura estabeleça uma ajuda financeira, também pelo período de 90 dias, aos vendedores ambulantes cadastrados no município, até que o país tenha superado a fase mais grave de isolamento social por causa da Covid-19.

“A gente não vê nenhuma política pública voltada a economia do nosso município. A cidade aqui vizinha, Rio Tinto, a prefeitura está concedendo aos autônomos um valor de R$ 750. Precisamos ver também essas políticas públicas para não se resumimos apenas na discussão de que se abra ou feche o comércio”, disse Meireles.

O parlamentar também cobrou uma ação social mais enérgica, e sugeriu a distribuição de cestas básicas para as famílias mais carentes da cidade. Ele ainda destacou que a prefeitura de Guarabira recebeu R$ 766 mil em verba extra de auxílio para propor ações de combate ao novo coronavírus, e que isso não pode se resumir a distribuição de máscaras.



Da Assessoria

Sem comentários: