Marcos Andrade

Últimas Notícias
recent

Raniery Paulino apela ao MPT para instaurar um dispositivo administrativo para fiscalizar as demissões na Educação da Paraíba

Surpreendido com as demissões na área de educação, na Paraíba, o deputado estadual Raniery Paulino, apresentou um requerimento manifestando um apelo ao Ministério Público do Trabalho na Paraíba, no sentido de instaurar um procedimento administrativo para acompanhar e fiscalizar as ações da Secretaria Estadual de Educação na recente demissão de prestadores de serviço e contratação de novos professores e servidores escolares.

De acordo com o parlamentar, os profissionais de educação foram surpreendidos com os contracheques zerados e precisamos estar atentos e fiscalizar possíveis irregularidades.

" Em razão da gravidade da situação dos profissionais de educação, que exerciam as suas atividades nas escolas que compõem a rede estadual de ensino e foram surpreendidos com os contracheques zerados, apresentamos este Apelo ao Ministério Público do Trabalho na Paraíba, a fim de que as irregularidades sejam apuradas e sanadas." frisou, Raniery.

Para Raniery, o Poder Executivo assemelha com essa medida prejudicar ainda mais a crise econômica e social instalada com a pandemia do Covid-19. " Iremos fiscalizar. Portanto, faz-se urgente a adoção de medidas, sobretudo neste momento em que vivenciamos a pandemia  e o Governo do Estado aparenta, lamentavelmente, aumentar a crise econômica e social já instalada no nosso país. " afirmou.

No entanto, vale registrar que, o vice-presidente da Associação dos Professores de Licenciatura Plena do Estado da Paraíba (APLP), Odenilson Medeiros, afirmou na imprensa que a instituição ingressou com uma denúncia na Regional de Ensino a respeito dos prestadores de serviço que trabalham há mais de 20 anos no Estado e tiveram seus contratos cancelados. Aliás, ele explicou que os contracheques foram disponibilizados na última sexta-feira, dia 27 de março de 2020, e que diversos prestadores se queixaram do não pagamento dos salários a que tinham direito.





Ascom 







Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.