Marcos Andrade

Últimas Notícias
recent

PF cumpre mandados de busca e apreensão em imóveis de Aécio Neves

As buscas ocorrem simultaneamente nos apartamentos, em BH e no Rio de Janeiro, do senador e deputado federal eleito


A Polícia Federal (PF) cumpre na manhã desta terça-feira 24 mandados de busca e apreensão em apartamentos, no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte, do senador Aécio Neves (PSDB-MG), eleito deputado federal este ano.  Além de Aécio, estão envolvidos na operação mais três deputados federais.

A PF também faz operação similar no endereço de Andrea Neves, irmã de Aécio, em um condomínio em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Ela  chegou a ser presa em 2017.  As buscas acontecem também no Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul, Tocantins, e Amapá

De acordo com a Polícia Federal, os mandados desta terça-feira fazem parte da investigação sobre um suposto pagamento de propina de R$110 milhões,  feitos entre 2014 e 2017 pela J&F,  holding dos irmãos Joesley e Wesley Batista.

A informação foi repassada por Joesley em delação premiada, juntamente com Ricardo Saud, executivo da JBS, empresa do grupo J&F. 

O senador também teria comprado apoio político do partido Solidariedade (SDD), comandado pelo deputado federal Paulinho da  Força (SP). O valor estimado é de R$ 15 milhões. 

Também estão envolvidos na operação da PF, desta terça-feira, os deputados federais Benito da Gama  (PTB/BA) e Cristiane Brasil (PTB/RJ). 

Em nota, a PF informou que ‘as vantagens teriam sido solicitadas a um grande grupo empresarial do ramo dos frigoríficos que teria efetuado o pagamento, inclusive para fins da campanha presidencial de 2014’

“Suspeita-se que os valores eram recebidos através da simulação de serviços que não eram efetivamente prestados e para os quais eram emitidas notas fiscais frias”, informou a PF

Nota da defesa do senador Aécio Neves
Alberto Zacharias Toron, a advogado do senador Aécio neves divulgou nota sobre a operação da PF, abaixo a íntegra:

"O senador Aécio Neves sempre esteve à disposição para prestar todos os esclarecimentos necessários que mostrarão a absoluta correção de todos os seus atos. 

É preciso que se esclareça que os recursos referidos pelos delatores da JBS são as contribuições eleitorais feitas à campanha do PSDB em 2014 e devidamente registradas na Justiça Eleitoral. 

Somam-se a esses valores contribuições legais feitas a outros partidos políticos. A medida é, portanto, desnecessária já que o senador é o maior interessado no esclarecimento de todos os fatos." 

Leia a íntegra da nota da Polícia Federal
"A Polícia Federal deflagrou hoje (11) a OPERAÇÃO ROSS*, que tem como objetivo investigar o recebimento de vantagens indevidas por parte de três  senadores da República e três deputados federais, entre os anos de 2014 e 2017. 

As vantagens teriam sido solicitadas a um grande grupo empresarial do ramo dos frigoríficos que teria efetuado o pagamento, inclusive para fins da campanha presidencial de 2014. A ação de hoje é um desdobramento da Operação Patmos, deflagrada pela PF em maio de 2017. 

Os valores investigados, que teriam sido utilizados também para a obtenção de apoio político, ultrapassam os cem milhões de reais, Suspeita-se que os valores eram recebidos  através da simulação de serviços que não eram efetivamente prestados e para os quais eram emitidas notas fiscais frias.

Aproximadamente 200 policiais federais dão cumprimento a 24 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, e realizam 48 intimações para oitivas. As medidas estão sendo cumpridas no Distrito Federal e nos Estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul, Tocantins, e Amapá.

São investigados os crimes de corrupção passiva, organização criminosa, lavagem de dinheiro e associação criminosa. 

*ROSS faz referência a um explorador britânico que dá nome à maior plataforma de gelo do mundo localizada na Antártida fazendo alusão às notas fiscais frias que estão sob investigação."




Portal Uai/EM

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.